Bate-boca no Senado é de 'envergonhar', diz FHC

Para ex-presidente, líderes partidários e Lula deveriam agir para colocar um fim na crise

Carolina Freitas, da Agência Estado,

04 de agosto de 2009 | 12h16

O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso disse estar envergonhado pelo bate-boca ocorrido ontem no Senado entre aliados e opositores do presidente da Casa, José Sarney (PMDB-AP). "Os diálogos são de arrepiar, de envergonhar", disse, após participar de um evento da revista Seleções na capital paulista. "Para a população fica como uma troca de desaforos e dá a sensação de que todos são iguais, todos são ruins".

 

Veja também:

video O bate boca entre Renan Calheiros e Pedro Simon

video Fernando Collor manda Pedro Simon engolir o que disse

linkSarney diz que ação contra 'Estado' foi decisão de seu filho

linkPossibilidade de deixar cargo 'não existe', diz presidente

especialNas páginas do Estadão, a luta contra a censura

linkCensura não intimidou em 68 e jornal foi apreendido

 

FHC apontou como responsáveis para dar um fim à crise os líderes partidários e o próprio presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva. "Alguém tem de ter uma postura separada do dia a dia e apontar o caminho da solução." Apesar disso, Fernando Henrique condenou as interferências feitas até aqui por Lula no Congresso. "Ele que faça como queira, eu não interferiria dessa maneira. Acho errado."

O ex-presidente evitou tomar posição contra ou a favor da renúncia de Sarney, que vem sendo pedida pelos líderes do PSDB no Senado. "Não vou entrar nessa questão, pois é um problema que eles precisam resolver", disse. "É preciso um esforço para acabar com essa crise. Se isso for a custa de renúncia, as pessoas devem entender."

Tudo o que sabemos sobre:
SenadoSarneyFHCenvergonharbate-boca

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.