Bastos pede escolha de procurador para acompanhar investigação

O ministro da Justiça, Márcio Thomaz Bastos, enviou ofício ao procurador geral da República, Antonio Fernando Barros, pedindo a designação urgente de um membro do Ministério Público para acompanhar as investigações da Polícia Federal da quebra ilegal do sigilo bancário do caseiro Francenildo Costa.Foi ele quem denunciou a participação do ministro da Fazenda Antonio Palocci, de encontros na mansão no Lago Sul, alugada por ex-assessores da chamada República de Ribeirão Preto. O objetivo do ministro é dar transparência e agilidade "para uma apuração isenta" do caso, segundo sua assessoria.O PSDB, o PFL e o PPS entrarão hoje à tarde no Ministério Público Federal com representações para que sejam identificados os responsáveis pela quebra do sigilo bancário do caseiro. "A suspeita recai sobre agentes ou delegados da Polícia Federal, funcionários da Caixa Econômica Federal, bem como servidores do Ministério da Fazenda", afirma nota divulgada pelo PSDB.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.