Bastos diz que Tarso ou Pertence podem sucedê-lo

O ministro da Justiça, Márcio Thomaz Bastos, voltou a afirmar nesta quinta-feira que está deixando o cargo e que os nomes mais cotados para sucedê-lo são os dos ministros das Relações Institucionais, Tarso Genro, e do Supremo Tribunal Federal (STF), Sepúlveda Pertence. Bastos afirmou, em entrevista à Agência Brasil, que vai se reunir ainda nesta quinta-feira com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva e que pode definir o nome de seu sucessor.Durante a entrevista, o ministro disse que "gostou demais" de seu trabalho na pasta da Justiça e citou algumas de suas realizações, tais como os investimentos em segurança pública e nas polícias Federal e Rodoviária, o combate à lavagem de dinheiro e a construção de presídios federais. "Chego ao fim de quatro anos com a consciência imodesta do dever cumprido", afirmou. "Acho que o Ministério da Justiça foi bem e está pronto para dar neste segundo e grande mandato, que nós esperamos do presidente Lula, uma contribuição importante."Na avaliação de Bastos, um dos grandes desafios de seu sucessor será a consolidação do Sistema Único de Segurança Pública (Susp), que no seu entender já vem dando bons resultados em todo o Brasil. O Susp foi implantado no ano de 2003 e todos os Estados do País mantêm convênios com este programa. "Essa cooperação, essa troca de idéias, esse conceito de rede é fundamental para combater o crime organizado", afirmou o ministro.O programa Bom Dia Ministro é produzido pela Secretaria de Imprensa da Presidência da República e transmitido pela Radiobrás e por outras emissoras de todo o País.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.