Bastos diz que Palocci nunca lhe confessou quebra do sigilo

O ministro da Justiça, Márcio Thomaz Bastos, disse em seu depoimento na Comissão de Constituição e Justiça da Câmara, que o ex-ministro Antonio Palocci em nenhum momento lhe confessou participação na quebra do sigilo bancário do caseiro Francenildo Costa. "Ele não me confessou nenhuma participação em nenhum momento", afirmou Bastos, ao responder ao deputado Fernando Coruja (PPS-SC) que perguntou quando o ministro soube do envolvimento de Palocci e se ele (Bastos) sabia disso quando recomendou o advogado Arnaldo Malheiros.Thomaz Bastos disse que na terça-feira, dia 21, quanto relatou o episódio na reunião da coordenação, ele falou com base em fatos que já tinham sido apurados. Naquele momento, afirmou, já se sabia da quebra de sigilo e do suposto envolvimento de funcionários da Caixa Econômica Federal. "Eu ressaltei a gravidade do fato e no mesmo dia contei isso ao presidente da República", afirmou Bastos. Sobre a versão de caixa 2 para substituir a tese do mensalão, Thomaz Bastos também negou qualquer participação, argumentando que isso seria transgredir seu compromisso como ministro da Justiça. Ele lembrou que o presidente Lula, no episódio da quebra do sigilo bancário, fez constantes cobranças para que o caso fosse elucidado. Para o ministro tudo foi desvendado em tempo "efetivamente recorde" numa ação conjunta da Polícia Federal e do Ministério Público.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.