Bastos diz que irá ´vadiar um pouco´ após largar Justiça

O ministro da Justiça, Márcio Thomaz Bastos, disse que logo que deixar o cargo - o que está previsto para o final de janeiro - vai "vadiar um pouco". Depois, mais sério, Bastos informou que, uma vez fora do cargo de ministro, cumprirá, espontaneamente, um período de "quarentena" de cinco a seis meses sem exercer advocacia. "Eu não pretendo advogar tão cedo nem exercer advocacia em áreas como o Supremo Tribunal Federal (STF) e a Polícia Federal", afirmou. Na parte bem-humorada da declaração, o ministro, ao dizer que vai "vadiar um pouco", acrescentou que, depois da quarentena, vai "advogar, mas, assim, de leve, nada, assim, de grande."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.