Bastos confirma saída e pede continuidade de programas

O ministro da Justiça, Márcio Thomaz Bastos, confirmou nesta quinta-feira que não segue na pasta, no segundo mandato do presidente Luiz Inácio Lula da Silva e pediu a continuidade de vários programas ao seu sucessor, sem, no entanto, citar nomes ou um prazo para sua saída."A minha esperança é de que continuem alguns programas, como o da Polícia Federal, o da reforma do Judiciário e o da integração das forças de segurança pública através da Secretaria de Segurança Pública", disse o ministro, que participou nesta manhã da abertura do encontro da Estratégia Nacional de Combate à Corrupção e à Lavagem de Dinheiro e de Recuperação de Ativos (Enccla), em Ribeirão Preto (SP).Bastos disse ainda "esperar que o novo ministro da Justiça intensifique alguns programas, modifique alguns outros, mas que caminhe nessa direção de que é preciso construir instituições estáveis, sólidas, como o Ministério Público independente e a Polícia Federal independente", concluiu.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.