Bastidores: Presidente do Iphan esteve em Salvador no mesmo dia em que Calero pediu demissão

Calero disse que um dos motivos que o levou a pedir demissão do cargo foi pressão feita por Geddel para que o Iphan aprovasse o projeto imobiliário em Salvador

Igor Gadelha, O Estado de S.Paulo

19 de novembro de 2016 | 12h04

BRASÍLIA - No mesmo dia em que Marcelo Calero pediu demissão do Ministério da Cultura após desentendimento com o ministro Geddel Vieira Lima (Secretaria de Governo) sobre licença do Iphan para construção de um imóvel em Salvador, a presidente do órgão, Kátia Bógea, esteve na cidade.

Kátia foi à capital baiana na manhã dessa sexta-feira, 18, para participar da reinauguração da Igreja da Venerável Ordem Terceira de São Domingos Gusmão. A igreja está localizada no Pelourinho, área histórica e turística de Salvador, e foi reaberta após dois anos de restauração pelo Iphan. 

Segundo apurou o Broadcast Político, sistema de notícias em tempo real do Grupo Estado, com políticos baianos, a presidente do instituto não tocou no assunto durante o evento. O próprio Calero chegou a confirmar presença na reinauguração da igreja, mas acabou cancelando. No fim da tarde de ontem, ele confirmou seu pedido demissão.

Como mostrou neste sábado o jornal Folha de S. Paulo, Calero disse que um dos principais motivos que o levaram a pedir demissão do cargo foi pressão feita por Geddel para que o Iphan aprovasse o projeto imobiliário La Vue Ladeira, que será construído em uma área tombada de Salvador, base eleitoral de Geddel.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.