Bastidores: Presidente do Iphan esteve em Salvador no mesmo dia em que Calero pediu demissão

Calero disse que um dos motivos que o levou a pedir demissão do cargo foi pressão feita por Geddel para que o Iphan aprovasse o projeto imobiliário em Salvador

Igor Gadelha, O Estado de S.Paulo

19 de novembro de 2016 | 12h04

BRASÍLIA - No mesmo dia em que Marcelo Calero pediu demissão do Ministério da Cultura após desentendimento com o ministro Geddel Vieira Lima (Secretaria de Governo) sobre licença do Iphan para construção de um imóvel em Salvador, a presidente do órgão, Kátia Bógea, esteve na cidade.

Kátia foi à capital baiana na manhã dessa sexta-feira, 18, para participar da reinauguração da Igreja da Venerável Ordem Terceira de São Domingos Gusmão. A igreja está localizada no Pelourinho, área histórica e turística de Salvador, e foi reaberta após dois anos de restauração pelo Iphan. 

Segundo apurou o Broadcast Político, sistema de notícias em tempo real do Grupo Estado, com políticos baianos, a presidente do instituto não tocou no assunto durante o evento. O próprio Calero chegou a confirmar presença na reinauguração da igreja, mas acabou cancelando. No fim da tarde de ontem, ele confirmou seu pedido demissão.

Como mostrou neste sábado o jornal Folha de S. Paulo, Calero disse que um dos principais motivos que o levaram a pedir demissão do cargo foi pressão feita por Geddel para que o Iphan aprovasse o projeto imobiliário La Vue Ladeira, que será construído em uma área tombada de Salvador, base eleitoral de Geddel.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.