Nomeação para governo Temer abre disputa pela liderança do PSB na Câmara

Mais cotados dentro da legenda, deputados Júlio Delgado (MG) e Danilo Forte (CE) disputam para ficar com a liderança do PSB na Câmara no lugar de Fernando Filho (PE), que assumiu o Ministério de Minas e Energia

Igor Gadelha, O Estado de S.Paulo

16 de maio de 2016 | 19h05

Brasília - A nomeação do deputado Fernando Filho (PE) para o Ministério de Minas e Energia abriu disputa pela liderança do PSB na Câmara. Com a ida do antigo líder para o governo Michel Temer, os vice-líderes Paulo Folleto (ES), Júlio Delgado (MG), Tadeu Alencar (BA) e Danilo Forte (CE) disputam a indicação para o comando da bancada.

Segundo parlamentares do partido ouvidos pelo Broadcast Político, serviço em tempo real da Agência Estado, os quatro candidatos tentam costurar, com outros integrantes da bancada, consenso em torno de seus nomes para que sejam escolhidos por acordo. A avaliação majoritária é de que levar a disputa para uma eleição poderia dividir e enfraquecer a bancada neste momento.

O nome mais forte hoje seria o de Delgado. Deputados do PSB dizem que a liderança pode ajudá-lo a se cacifar para disputa pela presidência da Câmara em 2017. Para tentar viabilizar seu nome como líder, o parlamentar teria, inclusive, se comprometido a ficar como líder somente até o início da campanha para presidente, abrindo espaço para outro deputado.

O nome de Danilo Forte também é bem visto pela maioria dos deputados do PSB, por ser "bem articulado", mas enfrenta alguma resistência por ter ingressado recentemente no partido. Até setembro, ele era filiado ao PMDB. O parlamentar cearense já avisou, no entanto, que não disputará eleição e só quer ser indicado se tiver consenso em torno de seu nome.

Alencar e Folleto também sofrem resistência. O primeiro por ter se posicionado contra a participação da sigla no governo Temer, enquanto a maioria da bancada era favorável. Já o segundo é considerado "pouco proativo" por seus correligionários. O capixaba, no entanto, já disse a colegas estar disposto a abrir mão da disputa para apoiar Júlio Delgado.

Enquanto não chegam a um consenso, deputados do PSB seguem articulando. A expectativa deles é resolver o imbróglio até o fim desta semana. Eles esperam se reunir na próxima quarta-feira, 18, ou quinta-feira, 19, para decidir o tema. Por enquanto, Folleto, que é o 1º vice-líder, está respondendo oficialmente pela bancada.

Assim como no PSB, também há disputa no PMDB pela sucessão de Leonardo Picciani (RJ) na liderança do partido na Câmara. Após o parlamentar fluminense ser indicado para o Ministério do Esporte, Leonardo Quintão (MG), primeiro vice-líder da sigla na Casa, e Baleia Rossi (SP) disputam o comando da bancada.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.