Bastidores: ‘Abandonado’, Cunha faz ameaças

O deputado cassado Eduardo Cunha (PMDB-RJ) disse a amigos que pode “derrubar o governo” se contar tudo o que sabe. Em conversas reservadas, Cunha afirmou que foi “abandonado” pelo Palácio do Planalto e ameaça dar o troco. “Quem com ferro fere, com ferro será ferido”, costuma dizer ele.

Vera Rosa, O Estado de S.Paulo

13 de setembro de 2016 | 05h05

Há cerca de duas semanas, Cunha chamou aliados da Câmara para uma reunião em sua casa. Queria saber os deputados que, apesar de “ajudados” por ele, iriam traí-lo. Pela lista apresentada, 90 dos mais de cem que Cunha se gabava de manter ao seu lado votariam pela cassação. Um dos participantes do encontro deu o seguinte recado aos colegas traidores: “Preparem os capacetes porque vai chover canivete.”

Cunha é conhecido por fazer dossiês contra adversários com riqueza de detalhes. Nos últimos dias, ele teria feito chegar ao Planalto que está disposto a envolver o secretário executivo do Programa de Parcerias de Investimentos (PPI), Moreira Franco, em irregularidades na Caixa Econômica Federal. Moreira é amigo do presidente Michel Temer e sogro do presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ).

Ao menos três discípulos quiseram saber de Cunha, às vésperas da votação sobre seu destino, se ele se lembrava de todas as articulações promovidas para ajudar colegas e prejudicar rivais. Na conversa houve referência à PEC da Bengala, a emenda constitucional que tirou das mãos da então presidente Dilma Rousseff, no ano passado, o poder de indicar cinco ministros para o Supremo Tribunal Federal (STF).

A sondagem sobre a viabilidade da PEC chegou a ser discutida em um jantar na residência oficial da Câmara. O peemedebista teria dito: “Recordo de todos os que estavam lá, do cardápio e até do vinho que tomaram”, exibindo a boa memória que promete agora usar contra quem o traiu.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.