ANDRE DUSEK/ESTADAO
ANDRE DUSEK/ESTADAO

Bastidor: presença de Lula quebra gelo entre PT e PCdoB

A relação entre os dois partidos havia esfria depois que os comunistas anunciaram intenção de ter candidatura própria em 2018

Ricardo Galhardo, O Estado de S.Paulo

19 Novembro 2017 | 22h36

A ida do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva ao ato de lançamento da pré-candidatura de Manuela D’Ávila ao Palácio do Planalto serviu para quebrar o gelo entre o PT e o PCdoB, aliados históricos cuja relação esfriou depois do anúncio de que os comunistas podem ter candidatura própria em 2018.

+++ 'Não acho difícil ganhar essas eleições', diz Lula

+++ Lula diz não ter os R$ 24 mi que PGR quer bloquear

Segundo dirigentes do PT e do PCdoB, muitos petistas foram pegos de surpresa com o lançamento do nome de Manuela. O PT esperava o apoio incondicional da legenda à pré-candidatura de Lula desde o primeiro momento, o que sempre ocorreu após a redemocratização. O PCdoB apoiou o PT nas eleições nacionais sem nunca ter nem sequer conseguido indicar o candidato a vice nas chapas presidenciais.

Para dirigentes do PCdoB, ao lançar Manuela o partido manda um sinal para o PT dizendo que os tempos agora são outros. A direção petista entendeu o recado e entrou em alerta. Mesmo avaliando que a candidatura da deputada gaúcha tem poucas chances de vingar e que ela tenta se cacifar para disputar o governo do Rio Grande do Sul, petistas julgam ser fundamental manter o apoio do PCdoB para evitar a sensação de que Lula está isolado.

Líderes dos dois partidos também preveem dificuldades nas negociações para costura de alianças nas disputas pelos governos estaduais.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.