BASTIDOR: Para aliados de Doria, discurso de Temer reforça candidatura em 2018

Em evento em São Paulo nesta segunda-feira, presidente distribuiu elogios ao prefeito de São Paulo

Pedro Venceslau, O Estado de S.Paulo

07 Agosto 2017 | 18h32

Aliados e auxiliares do prefeito de São Paulo, João Doria (PSDB), comemoraram o discurso do presidente Michel Temer, que nesta segunda-feira, 7, fez elogios rasgados ao tucano durante o evento de concessão à Prefeitura de parte do Aeroporto Campo de Marte para a construção de um parque.

A avaliação no entorno de Doria é que a fala do presidente foi "mais um tijolo" na construção da candidatura presidencial do prefeito, que foi eleito em 2016 e está em seu primeiro cargo eletivo. Doria se empenhou pessoalmente na articulação envolvendo o Campo de Marte, uma pendência entre o governo federal e a Prefeitura que se arrasta há décadas.

Segundo aliados do presidente, o discurso de Temer foi uma retribuição à lealdade de Doria durante a crise deflagrada após a divulgação do áudio de Joesley Batista, da JBS. Enquanto parte do partido defendeu o rompimento com o governo, Doria advogou pela permanência dos tucanos pelo menos até a aprovação das reformas.

A atuação de Doria foi considerada pelo Palácio do Planalto determinante para impedir que o PSDB de São Paulo declarasse uma posição formal pelo rompimento. Após o evento com Temer, João Doria embarcou para Salvador, em seu avião particular, com o ministro Antônio Imbassahy, da Secretaria de Governo da Presidência da República.

Na capital baiana, Doria tem uma agenda de candidato. Visitou jornais locais, vai receber o título de cidadão soteropolitano e à noite janta com 70 empresários baianos. A agenda nacional do prefeito não termina por aí. Ainda em agosto, Doria vai a Campina Grande, na Paraíba, e também a Rondônia.

Em outra ponta, governadores têm sinalizado apoio ao projeto do prefeito. Neste sábado, Davi Almeida (PSD), governador do Amazonas, disse que Doria é um bom candidato para 2018. Na semana passada, o governador do Paraná, Beto Richa (PSDB), fez um discurso na mesma linha durante um almoço com empresários, em Curitiba. O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), padrinho político de Doria, por sua vez, também planeja reforçar a agenda nacional para não perder espaço.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.