BASTIDOR: Aécio Neves se defende sem atacar a PGR ou a Lava Jato

De volta ao Senado, o tucano vai reforçar a ala pró-Temer no Congresso, defender as reformas e atuar para desidratar o grupo dos “cabeças pretas”, que defendem a saída do governo

Pedro Venceslau, O Estado de S.Paulo

03 Julho 2017 | 23h27

O senador Aécio Neves dispensou a ajuda de assessores e decidiu escrever de próprio punho um pronunciamento para seu retorno ao Senado, mas até a noite de ontem ainda não havia decidido se usaria a tribuna.

A expectativa em seu entorno é de que ele se defenda sem partir para o ataque à Lava Jato ou à Procuradoria-Geral da República. O senador não quer entrar em guerra com ninguém nesse momento. Por isso, a atuação no Senado deverá ser discreta e nos bastidores.

Com a devolução de suas prerrogativas políticas, o presidente licenciado do PSDB vai reforçar a ala pró-Temer no Congresso, defender as reformas e atuar para desidratar o grupo dos “cabeças pretas”, que defendem a saída do governo. Ele não pretende, porém, reassumir o comando da sigla, embora o estatuto lhe garanta esse direito. A solução que está sendo construída na cúpula tucana é manter tudo do jeito que está.

Se a pressão pelo desembarque do governo aumentar, a solução será liberar a bancada. Temer já foi avisado que não terá o apoio em bloco dos tucanos, mas não vai retaliar o partido. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.