Bases na Colômbia não afetam relações com Brasil, dizem EUA

As bases militares norte-americanas na Colômbia não prejudicarão as relações entre o Brasil e os Estados Unidos, afirmou nesta terça-feira o conselheiro de Segurança Nacional dos EUA, general James Jones.

REUTERS

04 de agosto de 2009 | 16h46

O assunto, que preocupa o governo brasileiro, faz parte da pauta das reuniões que Jones tem com autoridades do Executivo durante a tarde desta terça.

"Isso terá uma boa explicação e resultados satisfatórios que de forma alguma interferirão no progresso da nossa amizade e da nossa cooperação em matéria de interesses de segurança mútua", afirmou Jones a jornalistas, depois de se reunir com o ministro da Defesa, Nelson Jobim.

O aumento da presença militar dos Estados Unidos na Colômbia desagrada ao governo brasileiro. Na semana passada, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse ser contrário à instalação de nova base militar norte-americana no país vizinho.

O presidente da Colômbia, Alvaro Uribe, visita o Brasil na quinta-feira justamente para conversar sobre o tema com o presidente Lula. Os recentes desentendimentos entre o governo colombiano, Venezuela e Equador também estarão na agenda de Uribe na viagem à capital brasileira.

Jones já se encontrou com os ministros Edison Lobão (Minas e Energia) e Nelson Jobim (Defesa), assim como com o presidente da Petrobras, José Sergio Gabrielli.

O general tem também reuniões com a ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff, o assessor especial da Presidência para assuntos internacionais, Marco Aurélio Garcia, e o comandante da Aeronáutica, brigadeiro Juniti Saito.

(Reportagem de Fernando Exman)

Tudo o que sabemos sobre:
POLITICAJIMJONES*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.