Base se movimenta para barrar reeleição de Garibaldi

Para garantir o comando do Senado a um aliado incondicional, a base aliada do Palácio do Planalto desencadeou uma operação para minar a pretensão do atual presidente da Casa, Garibaldi Alves Filho (PMDB-RN), de se reeleger para o cargo. Ontem o líder do governo no Senado, Romero Jucá (PMDB-RR), rechaçou a manobra de Garibaldi, que encomendou pareceres a juristas que afiançaram a legitimidade da candidatura.Para Jucá, ?há impedimentos constitucionais e regimentais? que brecam a aspiração de Garibaldi, cuja concretização dependeria da alteração das regras atuais, que proíbem a reeleição dos dirigentes na mesma legislatura. ?Isso é mudança total de regra?, reagiu Jucá, contrário à tese de que Garibaldi foi eleito para um mandato tampão e, portanto, não pode ser comparado com quem ocupou o comando do Senado durante dois anos. Amanhã, o PMDB deve decidir sobre a candidatura de Garibaldi. Ele entrou em atrito com o Planalto ao se manifestar mais de uma vez contra o que considera excesso na edição de medidas provisórias e chegou, num gesto político, a ?devolver? a MP que deu ampla anistia a entidades filantrópicas. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.