Base governista pretende recriar CPMF com alíquota de 0,20%

Os partidos da base aliada dopresidente Luiz Inácio Lula da Silva pretendem trabalhar em2008 pela restituição da CPMF, com receitas voltadasexclusivamente para a saúde, afirmaram lideranças do Congressonesta quinta-feira. Em reunião com os ministros Paulo Bernardo (Planejamento) eJosé Múcio (Relações Institucionais), os parlamentares tambémse mostraram dispostos a aceitar uma redução de 50 por centodos recursos para as emendas de bancada deste ano, o querepresentaria um corte de cerca de 6 bilhões de reais. Também houve um entendimento informal em torno da redução azero dos 2 bilhões de reais previstos para as emendas aoorçamento apresentadas pelas comissões, segundo relatos deparlamentares. "Os líderes concordaram em torno desses cortes e o relator(do Orçamento, deputado José Pimentel, PT-CE) ficou de estudar.Se aprovado, somados aos cortes no orçamento do Legislativoestaremos (Congresso) pagando metade da conta", afirmou ajornalistas o líder do PR na Câmara, Luciano Castro (RR). Ele se referia ao corte de 20 bilhões de reais que ogoverno se propôs a fazer no Orçamento este ano para compensaro fim da CPMF. Segundo Castro, Paulo Bernardo afirmou na reunião que ogoverno espera elevar em 11,1 bilhões de reais a arrecadaçãocom o aumento da taxação da IOF e da CSLL. Ao anunciar o pacotetributário na última semana o governo havia estimado esseaumento em 10 bilhões de reais. CPMF, O RETORNO Segundo o líder do governo na Câmara, deputado HenriqueFontana (PT-RS), a idéia dos partidos governistas éreintroduzir um tributo cobrado sobre as movimentaçõesfinanceiras, agora com alíquota de 0,20 por cento, paraalavancar os investimentos em saúde. "O caminho nosso é fazer um amplo debate nacional sobre anecessidade de a saúde ter mais recursos", afirmou Fontana ajornalistas. Ele defendeu que a reforma tributária a ser encaminhadapelo governo ao Congresso em fevereiro já traga a CPMF sobesses novos moldes. "Todos os partidos (da base) discutiram e entenderam queesse é o caminho", confirmou o líder do PTB na Câmara, deputadoJovair Arantes (GO). (Edição de Mair Pena Neto)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.