Base e oposição mantêm impasse sobre obstrução na Câmara

Para facilitar acordo, Chinaglia se dispôs a retirar da pauta de votação o último ponto da CSS e jogar para agosto

Denise Madueño, de O Estado de S.Paulo

02 de julho de 2008 | 17h31

A rodada de negociação desta quarta-feira, 2, entre líderes governistas e de oposição com o presidente da Câmara, Arlindo Chinaglia (PT-SP), manteve o impasse em torno da obstrução da pauta do plenário. O único acerto foi votar uma, das quatro medidas provisórias que estão trancando a pauta, na sessão desta tarde.  Na próxima terça-feira, os líderes voltarão a se reunir para tentar montar uma pauta com projetos que não enfrentam resistências de ambos os lados. Os governistas apresentaram uma lista de projetos que gostariam de votar no caso de, eventualmente, ser aberta uma "janela" entre as medidas provisórias. A oposição também tem sua pauta de prioridades que será discutida na próxima reunião.  Para facilitar um acordo, Chinaglia se dispôs a retirar da pauta de votação o último ponto pendente da proposta que cria a Contribuição Social para a Saúde (CSS). Segundo o líder do PSDB, José Aníbal (SP), Chinaglia afirmou que a CSS só voltará para pauta de votação do plenário em agosto. A oposição não quer deixar que a votação da CSS seja concluída.

Tudo o que sabemos sobre:
Câmarabaseoposição

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.