Base e oposição fecham acordo para chamar ministro

Para mostrar descontentamento com o fato de o governo não atender seus pleitos, a base aliada fez hoje um acordo com a oposição para novamente ouvir o ministro Aloizio Mercadante (Ciência e Tecnologia) no Congresso a respeito das suspeitas de que ele estava por trás da tentativa de montagem de um dossiê contra tucanos na eleição de 2006. O caso ficou conhecido por "aloprados".

EDUARDO BRESCIANI, Agência Estado

29 de junho de 2011 | 20h18

Os aliados tinham maioria para derrubar todos os requerimentos de convocação de Mercadante, que ontem já prestara depoimento no Senado sobre o mesmo tema. De fato fizeram isso. Mas acabaram por acertar um acordo com a oposição. Ficou combinado que em troca de aprovação na semana que vem de um convite para a volta do ministro para falar dos "aloprados", agora na Câmara, o deputado tucano Vanderlei Macris (SP) retiraria os requerimentos de convocação da ministra Ideli Salvati (Relações Institucionais). Macris concordou. O convite não torna obrigatória a presença de Mercadante na Câmara, mas funciona como um objeto de constrangimento.

Reportagem da revista Veja acusa o ministro de ser o mentor da compra de um dossiê contra o tucano José Serra em 2006. A matéria tem como base entrevista de Expedito Veloso, petista que trabalha atualmente no governo do Distrito Federal (DF).

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.