Gabriela Biló/Estadão
Gabriela Biló/Estadão

Base do PSDB paulista resiste ao avanço de Doria

Secretariados temáticos do partido reclamam de ingerência do governo em suas disputas internas

Pedro Venceslau, O Estado de S.Paulo

01 de maio de 2019 | 10h00

Militantes de núcleos temáticos que compõem a base orgânica do PSDB paulista reclamam que o governador João Doria estaria pressionando o partido para que seus aliados assumam o comando de grupos como Tucanafro, Juventude e Mulheres. Eles também se opõem ao plano do governador para reformular a sigla.

O movimento ocorre depois de o governador ter atuado para que seu grupo assumisse o comando do partido na capital e outros postos chaves do diretório. A iniciativa, porém, foi barrada pelo grupo do prefeito Bruno Covas.

O PSDB conta com quatro “secretariados”: Tucanafro, Juventude, Mulheres e Diversidades. Militantes ameaçam vaiar Doria na convenção caso ele interfira nos disputados processos internos de escolha dos dirigentes. “O Tucanafro é um secretariado da militância negra. Nós é que temos de decidir o que é melhor, e não terceiros. Não vamos aceitar ingerência de fora”, disse Elói Estrela, que está em uma das chapas que disputa o comando do grupo. 

A chapa de Estrela disputa com outra liderada por Ivan Lima, que integra o Conselho Estadual de Participação e Desenvolvimento da Comunidade Negra, vinculado ao governo. Ivan Lima tem o apoio de Doria. “Nós não costumamos andar em palácio, mas nas comunidades. Sem dúvida a outra chapa frequenta palácios”, disse Estrela.

Ele também é crítico ao discurso de mudar o nome do PSDB e seu programa. “O PSDB é um partido de esquerda, tanto que é social democrata”, disse. Procurado pela reportagem, Ivan Lima não se manifestou.

Jovens 

Outra disputa que acontece nos bastidores é pelo comando da Juventude Estadual do PSDB. “Infelizmente essa era para ser uma das convenções mais tranquilas que o partido já teve, mas deve ser uma das mais turbulentas da história. Espero que a democracia interna continue sendo respeitada, apesar de ter novas lideranças no partido que não viveram os processos antigos”, disse Lucar Sorrillo, um dos líderes da Juventude PSDB.

Ele pediu “razoabilidade” dos dirigentes para que os secretariados possa atuar “sem pressão vinda de cima”. “Eu gostaria que o secretário Marco Vinholi, próximo presidente do partido, se dedicasse com mais afinco a resolver essas turbulências”, disse Sorrillo.

“Estamos em um grande momento no PSDB. Com todos segmentos vivos e querendo participar do processo de renovação liderado pelo Governador Joao Doria”, respondeu Vinholi. Procurado, o militante Luiz Oliveira, do grupo Conexão 45, que disputa a juventude, disse que essa afirmação é “completamente mentirosa”.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.