André Dusek / AE
André Dusek / AE

Base deve ser ouvida antes de corte de ministérios, diz Garibaldi

Para ministro, deixar a base sem ministérios pode representar problemas para o governo

Eugênia Lopes, de O Estado de S.Paulo

11 de outubro de 2011 | 16h01

BRASÍLIA - Um dia depois de o presidente em exercício do PMDB, senador Valdir Raupp (RO), ter defendido o enxugamento do número de ministérios, o ministro da Previdência, Garibaldi Alves (PMDB-RN) afirmou que o governo precisa consultar a base aliada na Câmara e no Senado antes de decidir sobre a redução do número de pastas.

"O número de ministérios é realmente muito grande. Mas é preciso que se ouça a base parlamentar porque para o governo fazer isso e deixar a base à deriva pode trazer problemas para o próprio governo", afirmou o ministro.

"Vocês sabem que as bancadas só se sentem satisfeitas quando têm ministérios a reivindicar", completou. "O que acontece é que precisa haver expressividade maior do conjunto desses ministérios. Mas isso o governo vai ter de ouvir os parlamentares, não pode simplesmente fazer um enxugamento e a base parlamentar não ser ouvida".

Tudo o que sabemos sobre:
ministériospartidoscortes

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.