Base de Alcântara lança primeiro foguete depois de acidente

O Centro de Lançamento de Alcântara (CLA), no Maranhão, realizou hoje por volta das 13h50, a primeira operação de lançamento de foguete desde o acidente com o VLS-1 em agosto do ano passado. Trata-se do protótipo do foguete de sondagem VSB-30, que foi desenvolvido pelo Centro Técnico Aerospacial (CTA), em São José dos Campos, em parceria com a Agência Espacial Alemã (DLR-Moraba).A missão Cujuana, como foi batizada a operação de lançamento do protótipo VSB-30, foi considerado um sucesso total, uma vez que o foguete conseguiu atingir o apogeu em 10,5 minutos e ficou outros quatro minutos em ambiente de microgravidade.Este lançamento serviu para qualificar o modelo que está sendo oferecido à Agência Espacial Européia (European Space Agency - ESA) para substituir o foguete inglês Skylark 7, como veículo de sondagem do programa científico europeu de experiências em microgravidade.O sucesso da missão permitirá que a negociações com a ESA prossigam. A idéia inicial seria fornecer um lote inicial de 15 foguetes, como afirmou o diretor do Departamento de Pesquisa e Desenvolvimento da Força Aérea Brasileira (FAB), Brigadeiro Sérgio Bamabini, em entrevista a um periódico maranhense no começo do ano.Hoje o VSB-30 é praticamente todo fabricado pela indústria privada brasileira. O CTA faz apenas a integração de sistemas e a fabricação do combustível sólido, em São José dos Campos. Porém os membros do programa espacial brasileiro não escondem que há intenção de repassar o projeto para a iniciativa privada. "Caso surja uma empresa capacitada para produzir integralmente o veículo, sob condições técnicas e financeiras adequadas, o CTA e a AEB terão todo o interesse de repassar esse encargo", explicou Mauro Dolinsky um dos engenheiros do programa espacial brasileiro.Para realizar o lançamento do protótipo do VSB-30, foram necessárias dez tentativas de lançamento, porque a velocidade dos ventos até a altitude de 10 mil metros, estava além do envelope de vôo do foguete brasileiro.O novo foguete brasileiro é um veículo de sondagem de dois estágios (tem dois motores - um propulsor S-30 e um booster S-31), pode atingir um apogeu de 250 km, tem uma capacidade de carga de 400kg e pode proporcionar um vôo em ambiente de microgravidade por até seis minutos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.