Dida Sampaio/ Estadão
Dida Sampaio/ Estadão

Base da Funai que protege índios isolados é atacada por tiros de espingarda

Incidente aconteceu na última quinta-feira, 31; ao todo, sete bases indígenas já foram atacadas desde o começo deste ano

Patrik Camporez, O Estado de S. Paulo

02 de novembro de 2019 | 18h57

BRASÍLIA - Uma base de vigilância da Fundação Nacional do Índio (Funai) foi atacada a tiros pela sétima vez neste ano, na noite da última quinta-feira, 31, dentro do território indígena do Vale do Javari, em Rondônia.

A denúncia do ataque foi feita pela Coordenação da Organização Indígena Univaja, em nome povos Marubo, Mayoruna (Matsés), Matis, Kanamary, Kulina (Pano), Korubo e Tsohom-Djapá. Segundo a entidade, a base atingida por tiros de espingarda está localizada às margens do Rio Ituí,  e é uma das quatro unidades que protegem a Terra Indígena Vale do Javari.

"Por conseguinte, protegem a integridade física, cultural e territorial dos indígenas e suas aldeias, incluindo os 'isolados' e 120 indígenas da etnia Korubo  de recente contato”, diz a entidade.

Em nota, o grupo reforça que, desde o início deste ano, povos indígenas dessa região têm  informado as autoridades competentes sobre o aumento das invasões na Terra Indígena, bem como o nível de violência demonstrado pelos invasores.

"A Funai mantém quatro Bases de Vigilância no Vale do Javari, porém elas  vêm sendo praticamente abandonadas, devido à inoperância do órgão indigenista e aos sucessivos cortes orçamentários, além da atual condução da Política Indigenista, relativizada pelo Governo Jair Bolsonaro e endossada pela cúpula do órgão, muitos desses indicados para o cargo pelo agronegócio. Isso tem resultado numa atuação medíocre da Funai os últimos anos, pondo em perigo centenas de indígenas isolados e de recente contato", diz a nota. 

A Base do Ituí é a principal referência da Funai para os trabalhos de assistência aos indígenas de recente contato. É desse local que se faz o planejamento e execução das atividades das chamadas Frentes de Proteção Etnoambientais da Funai no Vale do Javari, que é a região do mundo com maior concentração de povos indígenas isolados e de recente contato.

No ataque desta quinta ninguém ficou ferido. A reportagem entrou em contato com a Funai e aguarda retorno.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.