Base aliada planejou falta de quórum em CPI, diz Jucá

O senador Romero Jucá (PMDB-RR) confirmou hoje que a não instalação da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Petrobras foi uma decisão organizada da base aliada. "Foi uma orientação passada por líderes do Senado", disse. No entanto, ele negou que haja um racha entre os senadores governistas, como é comentado nos bastidores do Senado. "A composição da CPI da Petrobras dependerá da composição da CPI das ONGs", afirmou.

CÉLIA FROUFE, Agencia Estado

02 de junho de 2009 | 18h36

Sobre a falta de quórum no início da tarde na sessão de instalação da CPI da Petrobras, Jucá relatou que se tratou de algo orquestrado e afirmou que a base do governo "está tranquila". Ele explicou que, no caso da CPI da Petrobras, o PMDB, mais precisamente o senador Renan Calheiros (AL), indicará a relatoria, enquanto Aloizio Mercadante (PT-SP) apontará o nome do presidente da comissão. "Enquanto não definir uma, não haverá outra", disse Jucá. De acordo com ele, a instalação da CPI da Petrobras dependerá, portanto, da manifestação da oposição.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.