Base aliada decide retomar votações na Câmara

Os líderes da base aliada na Câmara decidiram retomar asvotações, segundo o vice-líder do governo, Beto Albuquerque (PSB-RS). O acordo foi fechado, em reunião dos líderes dabase com o líder do governo na Câmara, professor Luizinho. Segundo Albuquerque, a base aliada entende que a medida provisóriada Modermaq (que cria o programa de modernização do parque industrial nacional) não pode ser comprometida, já que ela perderávalidade na segunda-feira, se não for votada pela Câmara e pelo Senado até essa data. Albuquerque disse, no entanto, que aintenção de votar hoje não significa que todas as arestas entre o governo e a base foram aparadas. "Demos um passo importante. Ébom que o governo perceba o quanto de mal está produzindo na articulação política, na demora do cumprimento de compromissoscom sua base", disse. Para ele, as últimas semanas serviram de exemplo para o governo. "O governo precisarespeitar sua base, que é plural, que é ampla para continuar o processo de votação", disse Albuquerque. Hoje o governopublicou portaria liberando recursos referentes às emendas individuais dos parlamentares, ao orçamento da União deste ano. O presidente da Câmara, João Paulo Cunha, está em seu gabinete almoçando com Albuquerque e Luizinho, que foramrelatar a ele o resultado da reunião com os aliados. Às 15 horas João Paulo reunirá os líderes governistas e de oposição paradiscutir a retomada das votações na Câmara.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.