Barros Munhoz se defende e diz que é alvo de denúncia

O deputado estadual Barros Munhoz (PSDB), que deve ser reeleito presidente da Assembleia Legislativa de São Paulo hoje, rebateu as denúncias envolvendo um suposto desvio de R$ 3,1 milhões da Prefeitura de Itapira, cidade que governou por três vezes.

DAIENE CARDOSO E GUSTAVO URIBE, Agência Estado

15 de março de 2011 | 15h47

"Esta é uma denúncia política feita em véspera de eleição. Estou sendo julgado antes de o processo ter início e muito antes de ele chegar a uma decisão", disse o deputado, minutos antes da posse da nova legislatura. Munhoz disse que tem "35 anos de vida pública", seis mandatos legislativos consecutivos e conta com o apoio dos eleitores de Itapira e de seus colegas na Assembleia.

Sobre a eleição da nova Mesa Diretora, Munhoz disse que o acordo feito com o PT para a gestão da Casa simboliza a maturidade política dos partidos que elegeram o maior número de deputados. "Isso (compor com a oposição) acontece em todos os parlamentos do mundo. É um gesto de maturidade política de todos os partidos que compõem essa chapa", afirmou. Além da chapa liderada por Barros Munhoz, disputam o comando da Casa a chapa do deputado Carlos Giannazi (PSOL) e a do Major Olímpio (PDT).

Mais conteúdo sobre:
Barros Munhoz

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.