Barros critica excesso de ações ao tomar posse no STJ

Segundo ele, o STF 'corre o risco de se tornar um fator de insegurança'

LUCIANA NUNES LEAL, Agencia Estado

07 de abril de 2008 | 18h26

O ministro Humberto Gomes de Barros tomou posse nesta segunada-feira, 7, na presidência do Superior Tribunal de Justiça (STJ) com uma crítica ao número excessivo de processos. Segundo ele, os ministros julgaram 19.267 ações em 1991, número que passou para 330.257 no ano passado. "Cada ministro apreciou em média 11.901 processos", disse Gomes de Barros no discurso de posse. Segundo ele, o STF "corre o risco de se tornar um fator de insegurança." No discurso, o novo presidente disse que o tribunal "enfrenta crise de identidade (entre) ser um fiador de segurança jurídica ou se transformar em reles terceira instância". O presidente Luiz Inácio Lula da Silva participou da solenidade de posse, mas não discursou e não deu entrevista ao deixar a sede do STJ.

Tudo o que sabemos sobre:
Humberto Gomes de BarrosSTJ

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.