Barreto diz que PF 'tem o tempo correto' para investigar quebra de sigilo

Para ministro da Justiça, 'responsável por quebra de qualquer que seja o direito vai sofrer punições'

Mariângela Gallucci, de O Estado de S.Paulo,

03 de setembro de 2010 | 19h36

O ministro da Justiça, Luiz Paulo Barreto, garantiu que os responsáveis pela quebra dos sigilos fiscais de tucanos serão punidos e, segundo ele, a Polícia Federal está investigando com determinação para solucionar o caso. "Qualquer responsável por quebra de qualquer que seja o direito vai sofrer a respectiva punição", afirmou nesta sexta-feira, 3.

 

Veja Também

linkMantega admite que quebra de sigilos é 'muito maior'

linkPolícia Civil abre inquérito para apurar documentação falsa de Verônica Serra

linkLula: tem coisa mais séria que dor-de-cotovelo de Serra

linkMarina lamenta envolvimento de verde no escândalo da quebra de sigilo

linkNo rádio, Alckmin critica PT por quebra de sigilo de Verônica Serra

linkCúpula da Receita omitiu motivação política da violação do sigilo de tucanos

 

Barreto disse que a Polícia Federal está empenhada em investigar o vazamento dos dados, mas que qualquer investigação tem o seu tempo. "A Polícia Federal, em qualquer investigação, tem o tempo correto. Tem o tempo de promover as oitivas, tem o de, se necessário, pedir prisão temporária ou preventiva. Tudo depende do desenrolar das investigações e do conjunto probatório que se formar ao redor daquela investigação, e a Polícia Federal já deu várias provas no Brasil de que investiga bem", afirmou.

 

O procurador-geral da República, Roberto Gurgel, disse que o caso é muito grave. "Qualquer quebra é extremamente grave", afirmou. Gurgel disse que tem certeza de que não haverá omissão do Estado para apurar o que, segundo o procurador, é crime. Para o procurador, só as investigações vão definir se o vazamento teve fins eleitorais. "O Ministério Público não pode agir a reboque das paixões do período eleitoral", afirmou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.