Andre Dusek/Estadão
Andre Dusek/Estadão

Barbosa pede desculpas a Lewandowski após bate-boca

Dosimetria da pena de Marcos Valério levou relator e revisor a um debate acalorado no STF

Eduardo Bresciani e Ricardo Brito, da Agência Estado

24 de outubro de 2012 | 18h25

BRASÍLIA - O relator do processo do mensalão no Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Joaquim Barbosa, iniciou a intervenção após o intervalo da sessão na tarde desta quarta-feira, 24, com um pedido de desculpas ao revisor, ministro Ricardo Lewandowski. Eles tiveram um bate-boca antes da suspensão da sessão em que Barbosa acusou Lewandowski de atuar como "advogado" e o revisor respondeu questionando se o relator era da "Promotoria".

 

Ao pedir desculpas, Barbosa afirmou estar preocupado com o ritmo da dosimetria das penas e atribuiu isso ao "excesso" na discussão com Lewandowski. "Eu gostaria, mais uma vez, de externar a minha preocupação quanto ao ritmo da nossa dosimetria e dizer que estou muito preocupado. Isso tem me levado a exceder e rebater de uma forma exacerbada. Quero pedir desculpas ao ministro Ricardo Lewandowski."

 

O relator do processo do mensalão continuou o voto, analisando depois a conduta do empresário Marcos Valério Fernandes de Souza quanto ao crime de lavagem de dinheiro. Eles já aplicaram ao réu penas por formação de quadrilha, dois crimes de corrupção ativa e dois de peculato. A divisão aconteceu em relação à pena por corrupção ativa relativa à propina paga ao ex-diretor do Banco do Brasil (BB) Henrique Pizzolato. Lewandowski venceu o embate com o STF fixando a pena por este crime em 3 anos, 1 mês e 10 dias, em vez dos 4 anos e 8 meses sugeridos pelo relator.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.