Barbosa diz que pode comparecer ao Congresso para defender Dilma

Ministro da Fazenda afirmou ainda que vai analisar com a área jurídica do governo como será feita a defesa da presidente

Rachel Gamarski, Eduardo Rodrigues e Lu Aiko Otta, O Estado de S.Paulo

29 de março de 2016 | 15h03

Brasília - Após a aprovação de requerimento para ouvir o ministro da Fazenda, Nelson Barbosa, na próxima quinta-feira na comissão do impeachment, o dirigente da Fazenda afirmou que não tem problemas em comparecer ao Congresso para defender a presidente Dilma Rousseff. Ele salientou que todas as decisões tomadas pelo governo são amparadas por pareceres técnicos da Fazenda e do Planejamento e que vai analisar com a área jurídica do governo como será feita a defesa da presidente.

"Estou sendo informado agora dessa decisão e não tenho nenhum problema em vir aqui e defender. A questão é qual é a melhor data, se isso deve acontecer antes ou depois de a presidente apresentar sua defesa formal", afirmou Barbosa, após participar de audiência na Comissão de Assuntos Econômicos (CAE) do Senado.

O ministro afirmou que havia ficado sabendo naquele momento sobre a data da defesa, prevista para a quinta-feira, e que vai avaliar junto com a área jurídica do governo e com o advogado-geral da União, José Eduardo Cardozo, o que deve ser feito. Barbosa disse que a defesa da presidente será apresentada na próxima segunda-feira.

Ele disse ainda que vai explicar o que foi perguntado e que a política do governo "é transparente". "Todas as decisões que foram tomadas foram amparadas em pareceres técnicos da Fazenda e Planejamento e estão de acordo com a legislação em vigor, e eu virei explicar o que for perguntado", frisou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.