André Dusek/Estadão
André Dusek/Estadão

Barbosa discute pedaladas com presidentes de bancos públicos

Ainda antes de tomar posse da Fazenda, o que vai acontecer nesta segunda, novo ministro da pasta tratou de pagamentos em atraso

Lorenna Rodrigues, O Estado de S. Paulo

20 de dezembro de 2015 | 19h52

BRASÍLIA - Antes mesmo de tomar posse à frente do Ministério da Fazenda, o ministro Nelson Barbosa discutiu os pagamentos em atrasos - as pedaladas fiscais - com os presidentes de bancos públicos. 

Neste domingo, 20, Barbosa recebeu, ainda no Ministério do Planejamento, o presidente do Banco do Brasil, Alexandre Corrêa Abreu, e conversou por telefone com o presidente do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Luciano Coutinho, e com a presidente da Caixa Econômica Federal, Míriam Belchior. 

Nas conversas, foi abordado o passivo que a União tem com as instituições. O governo tem que decidir como será o cronograma de pagamentos das pedaladas, que somam cerca de R$ 57 bilhões. O ainda ministro da Fazenda, Joaquim Levy, defendia o pagamento dos atrasados para bancos públicos de uma só vez, e o parcelamento de recursos devidos para o FGTS. 

Em entrevista ao Broadcast, neste sábado, 19, Barbosa disse que irá se informar de todos os detalhes com o Tesouro e vamos anunciar uma decisão nos próximos dias. "Preciso conversar com a equipe do Tesouro para ver quais são as alternativas antes de emitir uma posição", afirmou.

Secretários. Barbosa quer conversar com a atual equipe do Ministério da Fazenda antes de anunciar ser secretariado, o que deverá ser feito amanhã, depois da posse. Barbosa, passou o domingo reunido com auxiliares e técnicos do Planejamento e da Fazenda.

Revisou dados dos dois ministérios e preparou o discurso que usará amanhã na cerimônia de transmissão de cargo, marcada para as 17h no Palácio do Planalto. Levy também participará da cerimônia. Ambos deverão fazer discursos institucionais e não deverão ser anunciadas novas medidas. 

Nesta segunda-feira, 21, Barbosa começa o dia de sua posse com reunião com o presidente do Banco Central, Alexandre Tombini, às 9h30 . Às 12h, na tentativa de acalmar os mercados, que receberam a indicação de Barbosa com nervosismo, faz conferência por telefone com investidores nacionais e estrangeiros. 

A posse seguida de transmissão de cargo ao Ministério da Fazenda está marcada para as 17h, no Palácio do Planalto.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.