Barbalho diz que candidatura é suprapartidária

O presidente do PMDB e líder do partido no Senado, Jáder Barbalho (PA), escolhido pela bancada para ser candidato à Presidência da Casa, disse que considera suprapartidária sua candidatura e, por isso, conversará com os senadores de todos os partidos. Antecipou que não discutirá os nomes que vierem a ser indicados pelos demais partidos para comporem a Mesa do Senado. Barbalho anunciou que, se eleito, o Senado, em sua gestão, será conduzido pela Mesa Diretora, que é uma comissão de senadores. O senador José Alencar (PMDB-MG), presidente da reunião em que Barbalho foi escolhido candidato, considerou "histórico" o encontro. Dos 26 senadores do partido, 25 compareceram; o único ausente foi José Sarney (PMDB-AP). Na votação nominal, Barbalho recebeu 23 votos, com a posição contrária do senador Roberto Requião (PMDB-PR) e abstenção do senador José Fogaça (PMDB-RS). "O resultado demonstra que o PMDB está unido e fortalecido", afirmou Alencar. Ele disse entender que os senadores manifestaram, com seus votos em Barbalho, aprovação ao trabalho feito por ele na liderança do partido. No entender do senador mineiro, a ausência de Sarney foi "conseqüência da movimentação de seu nome na mídia", mas Alencar disse acreditar Sarney marchará com a candidatura de Barbalho.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.