Banqueiro tem prisão pedida pela terceira vez

Daniel Dantas teve a sua prisão pedida na Justiça Federal ontem pela terceira vez em pouco mais de uma semana. Desta vez, a medida foi negada pela juíza Janaína Rodrigues Valle Gomes, da 5ª Vara Federal Criminal de São Paulo. O motivo de outro pedido é a suspeita de que Dantas teria tentado influenciar no processo criminal originado na Operação Chacal, em 2004. Ele foi acusado de contratar a empresa Kroll para espionar seus desafetos pessoais, integrantes do governo Lula e a Telecom Itália.Conforme revelou o Estado, o delegado Protógenes Queiroz afirmou, no inquérito da Operação Satiagraha, que há indícios de que Dantas voltou a montar esquema de espionagem, desta vez contra juízes de São Paulo.O novo pedido de prisão feito pela Procuradoria da República alegava que Dantas articulava investigação contra o empresário Luis Roberto Demarco e manipulava imprensa italiana. A juíza decidiu que documentos não evidenciam "satisfatoriamente" necessidade de prisão neste caso. O advogado de Dantas, Nélio Machado, não foi encontrado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.