Dida Sampaio|Estadão
Dida Sampaio|Estadão

Banheiro de deputados na Câmara é vandalizado em protesto contra Lula

Imagem de mão aberta, com símbolo de proibido por cima, teve dedo mindinho raspado restando uma mão com quatro dedos, que remete ao petista

Daniel Carvalho, O Estado de S.Paulo

30 de março de 2016 | 15h41

BRASÍLIA - Os mictórios de um banheiro restrito a deputados, jornalistas e servidores credenciados na Câmara foram vandalizados em protesto contra o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Nos quatro mictórios do banheiro masculino do café que fica dentro do plenário, há plaquinhas informando que o aparelho é automático e não requer uso manual para a descarga. No informe, há uma mão aberta com um símbolo de proibido por cima. Nas quatro placas, o dedo mindinho foi raspado, restando o símbolo de proibido sobre uma mão com quatro dedos, que remete ao petista.

Na semana passada, a foto da presidente Dilma Rousseff em uma exposição na Câmara dos Deputados também foi vandalizada. A imagem, integrante da exposição "Mulheres no Poder", foi rasgada na altura dos olhos.

A exposição ocupa as paredes do corredor que liga o plenário aos anexos da Câmara. No início da semana, um chiclete já havia sido grudado na boca da presidente.

A imagem de Dilma foi substituída. A Primeira Secretaria da Câmara, espécie de prefeitura da Casa, informou que solicitaria a remoção imediata das plaquinhas danificadas.

Petistas criticaram as danificações. “Isso significa uma total falta de controle sobre as reações raivosas de quem está disposto a ofensas diretas e indiretas. Há vários parlamentares do PT que estão sendo ameaçados por pessoas cheias de ódio. Temos que ter cuidado porque o acirramento pode ser maior”, afirmou o deputado Zé Geraldo (PT-PA).

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.