Band nega que regra de debate favoreça algum candidato

O diretor de Jornalismo da Band, Fernando Mitre, afirmou ontem, enquanto cuidava dos últimos preparativos para o primeiro debate entre presidenciáveis na televisão aberta, que "as regras, aceitas integralmente pelos quatro candidatos, darão a todos ampla liberdade de se expressar e debater". Ele diz não aceitar as queixas de que a fórmula adotada poderia favorecer um ou outro candidato.

AE, Agência Estado

03 de agosto de 2010 | 10h02

"As quatro equipes aprovaram o modelo proposto. As regras deste ano são as melhores que vi nos 25 anos em que estou produzindo esses debates", diz Mitre. E dá um exemplo: ao longo dos cinco blocos, haverá pelo menos duas chances para cada um escolher o rival a quem quer dirigir uma pergunta. "Ninguém ficará impedido de nada."

Depois da decisão do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) que confirmou o formato do debate, a emissora depende agora de uma última providência: o sorteio, marcado para amanhã, em que se definirá a ordem em que os candidatos farão suas perguntas uns aos outros. Os quatro convidados - Dilma Rousseff (PT), José Serra (PSDB), Marina Silva (PV) e Plínio de Arruda Sampaio (PSOL) - devem chegar de helicóptero e terão salas próprias ao seu dispor, para se preparar com suas equipes, antes de entrar no palco - por volta de 22 horas. O debate terá cinco blocos, devendo durar até meia-noite. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.