Bancoop pagou R$ 1,5 milhão a empresa

O ex-assessor da Presidência Freud Godoy recebeu, entre 2005 e 2006, no auge do escândalo do mensalão, R$ 1,5 milhão da Bancoop, cooperativa habitacional do Sindicato dos Bancários de São Paulo, como pagamento por serviços de segurança. Os pagamentos foram feitos em 11 cheques entregues à Caso Sistemas de Segurança, empresa de propriedade da mulher de Freud e de um cunhado dele. A contratação foi feita quando o presidente da Bancoop era João Vaccari Neto, hoje tesoureiro do PT Nacional.

FERNANDO GALLO E FAUSTO MACEDO, Agência Estado

13 de dezembro de 2012 | 09h29

Vaccari afirmou, em um depoimento à CPI das ONGs do Senado, em maio de 2010, que precisou substituir a empresa anterior porque precisava de segurança armada para proteger materiais valiosos nas obras. Contudo, um mês depois, em depoimento à CPI da Bancoop, na Assembleia paulista, Freud Godoy contradisse a versão de Vaccari e negou que seus funcionários trabalhassem armados. "Não armados. Nós estamos renovando o certificado nosso agora, para poder dar entrada." Pelo menos até junho de 2010, a Caso ainda fazia a segurança das obras da Bancoop, mas, segundo Freud, em volume menor. Hoje a empresa não trabalha mais para a cooperativa. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo

/ F.G. e F.M.

Tudo o que sabemos sobre:
mensalãodepoimentoValérioBancoop

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.