Banco nega irregularidades

O grupo Opportunity chamou de "requentadas" as acusações do relatório do delegado federal Ricardo Saadi. "Elas faziam parte da estratégia da ?nova? administração da Brasil Telecom (fundos de pensão, Citigroup e Angra Partners) para difamar o Opportunity e seus executivos. Elas foram transformadas em ações, que foram retiradas de comum acordo entre as partes em 25 de abril de 2008, no âmbito da venda da Brasil Telecom para a Oi", ressaltou, em nota, o grupo de Daniel Dantas. "O fato é que não existe nada contra o Opportunity. Não existe crime."O advogado Antônio Carlos de Almeida Castro, o Kakay, informou que os R$ 6,2 milhões registrados nos documentos correspondem a honorários recebidos em contratos regularmente assinados. Ele disse que foi contratado pela Brasil Telecom para atuar em dois casos: a Operação Chacal e as investigações sobre suposto superfaturamento pago pela BrT na compra da Companhia Riograndense de Telecomunicações.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.