Banco do Brasil rebate novas acusações da Isto É

O Banco do Brasil divulgou hoje nota à imprensa rebatendo novas acusações feitas pela "Revista Isto É", sobre uma possível irregularidade na venda de um imóvel, pertencente à instituição, em 2002. "A operação de venda do imóvel para o Instituto Municipal de Ensino Superior de São Caetano do Sul está rigorosamente de acordo com a legislação vigente", afirma a direção do BB. O imóvel citado na matéria foi retomado pela instituição em decorrência do não pagamento de dívidas da Testem Fundidos Ltda, o que, de acordo com o BB, resguardou os interesses dos acionistas do banco."Em 08 de março de 2002, o imóvel foi reintegrado ao patrimônio do Banco do Brasil pelo valor de R$ 4,4 milhões. A autorização de venda do imóvel é de agosto de 2002, portanto, ocorrida na gestão anterior, devidamente amparada por pareceres da Diretoria Jurídica e da Unidade de Reestruturação de Ativos do BB", afirma. Ainda de acordo com as informações do BB, quando oimóvel foi vendido, em 2002, foram pagos, à vista, R$ 3,9 milhões. "O valor respeitou a avaliação registrada em laudo técnico presente no processo, incluindo custos com impostos atrasados, com a remoção dos equipamentos de terceiros existentes no local e com o risco de desapropriação, em função de dívidas fiscais". A Assessoria de Imprensa do BB lamenta a postura adotada pela "Revista Isto É". Segundo o BB, todas as informações sobre a venda do imóvel foram prestadas à reportagem da revista ontem, mas "lamentavelmente", parte dessas informações foi ignorada.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.