Banco de doações fornece medicamentos no Rio

Há seis anos, a Associação de Aposentados e Pensionistas do Rio (Asaprev) criou um banco de remédios, que recebe doações de médicos, de pessoas que têm medicamentos sobrando em casa e de laboratórios. O estoque, atualmente de 10 mil unidades, é suficiente para atender mensalmente a 500 pessoas, que não têm condições de arcar com as despesas de farmácia. Para ter acesso ao banco, basta ser associado da Asaprev. As pessoas podem retirar remédios sem limite de quantidade, desde que tenham receita médica. Atualmente, a associação dispõe de mil tipos de medicamentos diferentes, sendo os mais procurados os usados para controle de pressão arterial e contra diabetes, além de antiinflamatórios. O presidente da entidade, Roberto Pires, conta que o número de usuários é cada vez maior. "As filas estão sempre grandes. Tem gente que teria de parar de se tratar se não contasse com essa ajuda", diz. A idéia de criar o banco veio do aposentado Jorge Vítor Crampes, de 75 anos, ex-funcionário de uma indústria farmacêutica.

Agencia Estado,

30 Julho 2002 | 02h57

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.