Bancadas do PL, Prona e PSC devem apoiar Chinaglia

As bancadas do PL, Prona e PSC se reuniram nesta tarde e deverão decidir pelo apoio ao candidato Arlindo Chinaglia (PT-SP) na disputa pela presidência da Câmara. O apoio formal das bancadas significará mais uma derrota para o presidente da Câmara, Aldo Rebelo (PCdoB-SP), candidato à reeleição. Chinaglia já conta com apoio formal do PT, PMDB e PSDB, apesar de Aldo declarar que tem votos de deputados em todos os partidos independentemente do apoio formal das bancadas. O deputado Inocêncio Oliveira, o principal aliado de Aldo na bancada do PL, disse que já telefonou ao presidente da Câmara para dizer que seguirá a posição de sua bancada. "Eu disse a ele (Aldo) que estava difícil e que tudo indicava que a bancada daria apoio para Arlindo. Eu disse que apoiaria o meu partido", afirmou. Por trás deste apoio está também um cargo na mesa diretora da Câmara. O PT prometeu ceder ao PL uma das vagas a que tem direito em troca deste apoio. Pela regra da proporcionalidade, o PL poderia indicar um terceiro suplente da mesa mas o PT, segundo disse Inocêncio, vai dar para o PL a Quarta secretaria. A mesa tem sete cargos titulares - presidência, duas vice-presidência e quatro secretarias - além de quatro suplentes. O líder do PL na Câmara, Luciano Castro (RO), disse que os três partidos que estão reunidos terão 44 votos no dia 1º de fevereiro, quando será a eleição da mesa. Nesta reunião, segundo Castro, alguns deputados enviaram por escrito a declaração de voto. A reunião está sendo fechada em uma das salas da Câmara. O deputado Arlindo Chinaglia, que viajou a Goiânia, deverá chegar para o final da reunião das três bancadas para receber o apoio.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.