Bancada tucana defende aliança com DEM em SP

A exemplo do que vem pregando o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso e algumas lideranças tucanas, a bancada de vereadores tucanos na capital paulista disse ter convicção de que é fundamental preservar a aliança do partido com o DEM. Em reunião realizada hoje, na sede da Direção Municipal da legenda, o vice-líder do partido na Casa, vereador Gilberto Natalini, defendeu que a escolha do candidato que representará a coligação nas eleições municipais da capital paulista em outubro deve buscar a manutenção da aliança para disputas do governo estadual e da Presidência da República nas eleições de 2010."Estamos tratando essa matéria de forma partidária, e não pessoal", declarou Natalini. "Não podemos ser burros e desmanchar uma coisa que vem dando certo. Não trabalhamos com a hipótese de ruptura", acrescentou, em referência à aliança entre PSDB e DEM, que elegeu FHC e o ex-prefeito e atual governador José Serra. "Estamos tendo bom senso", completou.A bancada, composta por 12 vereadores, reafirmou que quem apostar na divisão do partido vai errar, embora admita que essa posição favorável à aliança não é consenso em todo o partido. O próprio ex-governador de São Paulo Geraldo Alckmin (PSDB) considera que o lançamento de sua candidatura e a do atual prefeito da capital paulista, Gilberto Kassab (DEM), na disputa eleitoral deste ano, não seria ruim. "Tem gente trabalhando de forma diferente? Tem, mas não somos nós", admitiu Natalini.A posição pode ser avaliada como um revés nas intenções de Alckmin, que diz que é preciso ouvir as bases do partido em relação a essa decisão. "Estamos trabalhando para ganhar a eleição. Não queremos retroagir as administrações passadas". Na nota distribuída à imprensa hoje, os vereadores ressaltaram que vão permanecer fiéis aos postulados do partido. Porém, destacaram também que querem garantir os "avanços conquistados nos últimos anos por um governo que foi eleito e que administra a cidade de acordo com os princípios tucanos de eficiência, austeridade e transparência".Ao final da nota, os vereadores destacam considerar "extremamente positivo e democrático" os diálogos que vêm acontecendo entre líderes do PSDB, do DEM, Alckmin e Kassab. "Existem dois momentos de decisão. O tempo de definição da aliança é anterior ao tempo de decisão do candidato", disse o vereador, ressaltando que qualquer um dos nomes que for escolhido será apoiado pela bancada.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.