Bancada ruralista não comparece em posse de Stephanes

Mais dos que as presenças, as ausência dizem mais sobre o prestígio do ministro e suas alianças políticas. Nesta sexta-feira, a bancada ruralista do Congresso boicotou a posse do novo ministro da Agricultura, Reinhold Stephanes (PMDB-PR). Não foram os únicos a demonstrar descontentamento com a reforma ministerial do presidente Luiz Inácio Lula da Silva. O presidente do PTB, Roberto Jefferson, por exemplo, que disputa poder dentro do partido com o novo ministro das Relações Institucionais, Walfrido Mares Guia, também não prestigiou a cerimônia. Desde que denunciou o escândalo do mensalão, Jefferson foi descartado das negociações do PTB com o Planalto. Ausência de primeira grandeza, foi a do presidente do Senado, senador Renan Calheiros (PMDB-AL). Desde que o presidente Lula escalou o presidente do PMDB, deputado Michel Temer, como interlocutor, que culminou com a nomeação do deputado Geddel Vieira Lima para a Integração Naciona, Renan tem demonstrado publicamente sua insatisfação com o governo. OpiniõesPara a Sociedade Rural Brasileira (SRB), o diferencial do recém-nomeado ministro da Agricultura, Reinhold Stephanes, é o seu perfil de gestor em cargos públicos. O titular da pasta, no entanto, terá de se aproximar das lideranças do setor, por ser considerado "pouco conhecido" nesse meio.Em nota anterior, quando do convite feito ao deputado federal Odílio Balbinotti, a entidade já havia sugerido essa necessidade de aproximação. Agora, ressalta ainda a importância de que Stephanes tenha autonomia na organização de sua equipe e que sua montagem obedeça "critérios técnicos, livres de pressões políticas".Para a entidade, a prioridade deverá ser colocada nas áreas de defesa sanitária, seguro rural, pesquisa agropecuária, crédito e instrumentos de apoio à comercialização, sem negligenciar os "temas-chave para o setor", como as áreas de legislação ambiental, trabalhista e biotecnologia.Já o presidente da União da Indústria da Cana-de-Açúcar (Unica), Eduardo Pereira de Carvalho, em nota, demonstra otimismo e até certa satisfação com a entrada de Reinhold Stephanes no ministério."Mais uma vez reiteramos a confiança plena no presidente da República em relação à escolha de seus auxiliares diretos. Dessa forma, temos a certeza de que o ministro Reinhold Stephanes dará continuidade ao excelente trabalho de seus antecessores, os ex-ministros Roberto Rodrigues e Luiz Carlos Guedes Pinto", consta do material.O secretário estadual de Agricultura e Abastecimento de São Paulo, João Sampaio, disse que o novo ministro é "um bom burocrata, mas no sentido bom da palavra". Para Sampaio, Stephanes está familiarizado com o funcionamento da máquina pública. "Ele talvez possa usar esse diferencial para suprir uma eventual falta, porque conhece apenas razoavelmente o setor".Com Adriana Rota

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.