Bancada petista critica Cardozo

A bancada do PT está insatisfeita por não participar das decisões da Mesa Diretora da Câmara, presidida pelo vereador José Eduardo Martins Cardozo (PT) com relação à reforma administrativa na Casa.O sentimento foi demonstrado nesta quarta-feira em quatro horas de reunião entre 13 dos 16 vereadores da bancada. O encontro, convocado por Cardozo, teve como objetivo prevenir um possível racha da bancada. "Ninguém bateu direto, apenas faziam insinuações", disse um vereador que participou da discussão.Oficialmente, a reunião foi convocada para que fosse decidida a agenda parlamentar da bancada. No encontro, Cardozo apresentou o cronograma da reforma e os cortes propostos pela Mesa em relação ao número de assessores, dos "benefícios em cascata" e da verba de gabinete."Questionamento vai ter sempre. O pessoal gosta de cortar nos outros, quando é com eles, dói", afirmou o vereador Devanir Ribeiro (PT).Segundo Ribeiro, o plano de reforma administrativa apresentado por ele é "muito melhor" que o de Cardozo. "Na minha proposta seriam cortadas verbas de gabinete, mas seriam criados gabinetes para as bancadas na Câmara." Ele critica a "falta de exemplo" da Mesa da Casa. "Os gabinetes foram pegos pelos benefícios emcascata, mas na Mesa não houve cortes de cargos."Já o vereador Adriano Diogo (PT) questiona a redução de assessores por gabinete. "Meu pessoal está agindo bem, trabalha muito, e eu valorizo o trabalho deles", afirmou. "Acho que deve haver critérios para fazer esses cortes." Hoje, cada vereador pode ter até 21 assessores por gabinete.A vereadora Aldaíza Sposati (PT) disse que o assunto terá de ser mais discutido, mas nega haver algum descontentamento na bancada. Alguns vereadores petistas que não quiseram se identificar dizem que Cardozo "esqueceu que tem bancada". "O pessoal está insatisfeito, a bancada não foi ouvida em nada", disse um vereador.Mesmo com as críticas ao seu projeto, Cardozo afirma que sua bancada está "unida" com a reforma. "O que eles querem é aprofundar as discussões."A reportagem apurou, entretanto, que Cardozo vem recebendo telefonemas de petistas que questionam o "isolamento" do vereador na presidência da Casa.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.