Bancada do PV sai em defesa de Marina Silva

A bancada do PV na Câmara dos Deputados divulgou hoje nota à imprensa na qual avalia como "caluniosa" e "injusta" a acusação feita ontem pelo deputado federal Aldo Rebelo (PCdoB-SP) contra a ex-senadora Marina Silva.

DAIENE CARDOSO, Agência Estado

13 de maio de 2011 | 17h44

O parlamentar, relator do Código Florestal, afirmou durante a votação do projeto que o marido da ex-senadora, Fábio Vaz de Lima, teria "fraudado contrabando de madeira". A declaração foi feita em resposta à mensagem publicada por Marina Silva na rede de microblogs Twitter, na qual ela escreveu que o relator do projeto apresentou um texto "com novas pegadinhas".

A nota divulgada hoje nega que a ex-senadora tenha acusado o deputado federal de ter fraudado o projeto. "O deputado foi duplamente injusto. Marina disse que ele havia apresentado seu relatório e que nele havia ''pegadinhas''. Em momento algum referiu-se a fraude. E ela tinha toda a razão. Havia pegadinhas, sim".

Na nota, a bancada do PV considerou que a atitude do parlamentar, ao acusar o marido da ex-senadora, demonstrou "desequilíbrio" e "falta de preparo" para a função. "Mais uma inverdade. E pior, nesse caso ele não foi mal informado por assessores ou qualquer outra pessoa. Ele sabe que não é verdade".

O PV lembrou que as acusações contra o marido da ex-senadora foram feitas quando ela era ministra do Meio Ambiente e partiram "daqueles que eram punidos". "O objetivo dessas ações eram deter Marina Silva e parar o trabalho de investigação e combate a crimes", diz o texto. "Uma denúncia vazia, covarde, feita por criminosos que queriam vingança".

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.