Bancada do PTB pode declarar apoio a Dilma

Segundo líder do partido na Câmara, deputados esperam fim das convenções estaduais, no dia 30, para decidir se apoia a presidente

ERICH DECAT, Agência Estado

25 Junho 2014 | 16h57

Rio - O líder do PTB na Câmara, Jovair Arantes (GO), afirmou nesta quarta-feira, 25, que a bancada deve declarar apoio à candidatura à reeleição da presidente Dilma Rousseff na próxima semana, adotando postura totalmente oposta à da cúpula do partido, que anunciou segunda-feira, formalmente, o rompimento da aliança e a adesão à campanha do tucano Aécio Neves à presidência. 

"A tendência é a bancada fechar apoio à Dilma", disse o parlamentar ao Broadcast Político, serviço em tempo real da Agência Estado, após se reunir com os deputados da legenda em Brasília para discutir o tema. Um novo encontro da bancada do PTB deve ocorrer na próxima quarta-feira, 4. 

Caso se confirme a declaração de apoio, os deputados vão repetir o mesmo gesto ocorrido em 2010, quando a direção do PTB formalizou apoio à candidatura presidencial do PSDB, mas a bancada resolveu apoiar a chapa PT-PMDB. 

Segundo o líder do PTB, na reunião desta quarta ficou decidido que os deputados do partido vão aguardar a conclusão das convenções estaduais, prevista para acontecer na próxima segunda-feira, 30. Apesar da possibilidade de a bancada declarar apoio à candidatura de Dilma, Jovair Arantes assegura que a decisão do presidente nacional da legenda, Benito Gama, de engajamento na campanha de Aécio não será alvo de uma queda de braço na convenção nacional do PTB, prevista para ocorrer nesta sexta-feira (27).

"A executiva recuou do apoio à presidente, a bancada não. Mas a decisão nacional já foi tomada. Não adianta contrapor isso agora para não criar uma guerra interna", considerou o deputado ao se referir sobre a decisão de Benito Gama anunciada no último sábado de debandar da aliança com Dilma e integrar a coligação presidencial do PSDB.

Mais conteúdo sobre:
eleições PTB

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.