Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Estadão Digital
Apenas R$99,90/ano
APENAS R$99,90/ANO APROVEITE

Bancada do PT no Senado discute mínimo na terça-feira

O líder do PT no Senado, Humberto Costa (PE), reunirá a bancada na próxima terça-feira, véspera da votação do projeto de lei do salário mínimo na Casa, a fim de discutir a matéria com os senadores. Um representante do Ministério da Fazenda ou da Previdência Social apresentará à bancada as justificativas para a manutenção da política de reajuste do mínimo. "A bancada do governo não vai votar envergonhada", afirmou Costa.

ANDREA JUBÉ VIANNA, Agência Estado

17 de fevereiro de 2011 | 16h35

O líder petista não quis comentar a declaração de seu liderado, Paulo Paim (PT-RS), que adiantou que apresentará emenda a favor do mínimo de R$ 560, contrariando a proposta do governo. Ele afirmou que não discorreria sobre "uma hipótese", já que Paim ainda não apresentou a emenda.

Ele acrescentou que Paim mantém um ótimo relacionamento com a bancada e o governo, tanto que foi indicado por unanimidade para a presidência da Comissão de Direitos Humanos (CDH). "Esperamos a reciprocidade disso", comentou o pernambucano. Ele ressalvou que o cargo de Paim não está condicionado à sua votação com o governo, mas sublinhou que espera que ele vote a favor dos R$ 545. "O ônus ou o bônus deve ser igual para todos os senadores do PT", completou.

Costa adiantou que sua tarefa é aprovar o projeto nos termos em que veio da Câmara. Ele defendeu a proposta governista, ponderando que garantiu nos últimos anos a recuperação do poder aquisitivo aos trabalhadores. Acrescentou que "o equilíbrio fiscal" das contas públicas é um dos fiadores dessa política. Por fim, declarou estar confiante na vitória, mas não tranquilo. "Na política e no Parlamento, nunca deve haver tranquilidade", disse.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.