Bancada do PT fecha questão em favor do mínimo de R$ 260

Em reunião de mais de três horas, a bancada do PT no Senado fechou questão em favor da aprovação da medida provisória que fixa o salário mínimo em R$ 260. O presidente do PT, José Genoino, que participou do encontro, disse que não foi discutido ainda o tipo de punição para os senadores dissidentes, como Paulo Paim (RS), que teria reafirmado na reunião sua decisão de votar um mínimo maior. "Vamos trabalhar pela unidade da bancada e estamos ainda na fase de convencimento", disse Genoino, acrescentando que o governo se compromete a estabelecer uma política permanente de recuperação do mínimo a vigorar a partir de 2005. Este será o objetivo da reunião que acontecerá às 15 horas entre líderes de partidos aliados e senadores dissidentes com auxiliares diretos do ministro da Fazenda, Antonio Palocci. A líder do PT no Senado, Ideli Salvatti (SC), disse que apenas três senadores não compareceram à reunião da bancada, mas que a posição de hoje é pelo apoio à MP e pela recuperação do salário mínimo. Em relação ao calendário de votação, ela disse que há uma disposição de votar a MP ainda esta semana, mas que isso depende de um acerto com os demais partidos. "Estamos trabalhando com a lógica do convencimento para ter os votos dos 13 senadores da bancada", afirma.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.