Bancada do PSDB paulista se reúne para discutir agenda

Os 18 deputados federais do PSDB de São Paulo, eleitos neste pleito, vão se reunir no dia 25 de novembro para discutir uma agenda desenvolvimentista para o País e o papel que a legenda e a bancada terão no Congresso Nacional, no segundo mandato do presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT). "Antes de discutirmos a agenda que pretendemos defender na Câmara, precisamos colocar em discussão qual será o papel do PSDB no próximo governo petista", informou à Agência Estado, o deputado Silvio Torres, cotado para ser o líder da bancada tucana na Câmara.Segundo o parlamentar, é fundamental que o partido defina a forma de atuar no próximo governo do presidente Lula. "Vamos nos organizar para conduzir as questões de interesse do País e estabelecer também uma relação com as outras legendas", emendou. O tucano afirmou que o governo Lula é quem precisa sinalizar com clareza quais as propostas que tem para o Brasil. Entretanto, salientou que os tucanos estarão prontos para cobrar, fiscalizar e apontar os caminhos considerados adequados à aprovação das reformas essenciais e ao crescimento do País.Torres disse que o PSDB não vai deixar de colaborar com o governo petista nas questões que envolvem o desenvolvimento do País. "Mas também não seremos adesistas", destacou. E continuou: "Ao contrário do que fazia o PT (quando foi oposição ao governo do presidente tucano Fernando Henrique Cardoso), não seremos sectários. Mas também não faremos concertações políticas que impliquem em impunidade."Na sua avaliação, os tucanos precisam se preparar para fazer uma oposição mais aguerrida. Assim como outros membros do partido, incluindo o ex-presidente FHC, o parlamentar também acredita que a legenda ficou um tanto desorientada no papel de oposição. É por essa razão que a bancada federal paulista pretende se organizar para traçar uma agenda comum e discutir as maneiras de otimizar sua atuação no papel de oposição ao governo Lula.O deputado disse que além do papel dos tucanos no segundo mandato do presidente Lula, o encontro do dia 25 colocará em pauta outras discussões, tais como as reformas política, da Previdência e tributária. "Todos sabem os caminhos para destravar os obstáculos ao crescimento do País, mas é preciso encontrar as condições para imprimir um ritmo maior às votações (no Congresso)."Silvio Torres é um dos nomes mais cotados para a liderança da bancada tucana na Câmara dos Deputados. Dos 66 deputados federais eleitos em todo o País pelo PSDB, 18 são do Estado de São Paulo. Como o Estado fez a maior bancada na Câmara nessas eleições, deverá ficar com a liderança do partido na Casa.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.