Bancada do PSDB na Câmara se reúne com Aécio para discutir posição sobre governo Temer

Partido já tem consenso sobre apoio a eventual governo do vice, mas ainda não diverge sobre participação na equipe

Igor Gadelha, O Estado de S.Paulo

26 de abril de 2016 | 15h25

Brasília - Deputados do PSDB se reúnem nesta terça-feira, 26, para discutir uma posição da bancada da Câmara em relação à participação da sigla em um eventual governo Michel Temer (PMDB). O encontro conta com a presença do presidente nacional da sigla, senador Aécio Neves (MG).

No PSDB, já há consenso que o partido deve apoiar um futuro governo Temer. A divergência tem se dado em relação à participação da legenda. De um lado, Aécio e o governador paulista Geraldo Alckmin se dizem contra a sigla ter cargos em um futuro governo do peemedebista. Do outro, o senador José Serra (SP) e o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso já se declararam a favor.

Aliado de Aécio, o líder do PSDB na Câmara, deputado Antônio Imbassahy (BA), já sinalizou a aliados que é contra o partido ter cargos em um eventual governo Michel Temer. Segundo interlocutores, o tucano defende que, para apoiar o peemedebista, não é preciso ter necessariamente cargos. Para ele, o PSDB poderia ajudar mais apoiando Temer no Legislativo.

Apesar de ser próximo a Alckmin, o líder da oposição na Câmara, deputado Miguel Haddad (PSDB-SP), sinalizou ser favorável à participação do PSDB em um futuro governo Temer. Antes disso, o parlamentar tucano defende que o PSDB deve apresentar um conjunto de propostas a Michel Temer.

A posição da bancada do PSDB na Câmara discutida no encontro desta terça-feira será levada para a reunião da Executiva Nacional do partido, marcada para 3 de maio. Na ocasião, a legenda deverá tomar a decisão oficial sobre como se posicionará em relação a um eventual governo Temer.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.