Bancada baiana do PFL não assinará pedido de CPI na Câmara

O deputado Antônio Carlos Magalhães Neto (PFL-BA) afirmou que a bancada baiana do partido não assinará o pedido do vice-líder do PFL, Onix Lorenzoni (RS), para a instalação da CPI sobre para apurar denúncias contra Waldomiro Diniz, ex-assessor do ministro chefe da Casa Civil, José Dirceu. Para ACM Neto no momento não existem razões que justifiquem uma CPI. "Este requerimento não pode ser interpretado como uma posição do partido. Não houve reunião da bancada. Portanto, o deputado não pode falar em posição de bancada", disse. Dos 63 deputados do PFL da Bahia, 19 seguem orientação do senador Antonio Carlos Magalhães. Sobre uma eventual CPI ampla, proposta pelo PT no Senado, para investigar irregularidades nos financiamentos de campanha eleitoral, ACM Neto disse que não há uma posição sobre o assunto.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.