Balbinotti mantém silêncio até segunda-feira

O deputado federal Odílio Balbinotti (PMDB-PR) continua recluso sem dar entrevistas. Segundo sua assessoria, o deputado não irá se manifestar neste final de semana sobre a denúncia de utilização de ex-funcionários como laranjas para operações financeiras do Banco do Brasil. Somente na segunda-feira, 19, ele irá se pronunciar sobre o caso, que pode derrubá-lo da indicação para o Ministério da Agricultura.Dois ex-funcionários, Sidney Rodrigues da Silva, escriturário, e o vigia Gilson da Silva, moradores de Barbosa Ferraz (próximo a Maringá) e que estariam ligados ao caso foram procurados, mas não foram localizados. Eles entregaram um documento ao promotor Marcos José Porto Soares, do MP do Paraná, quando relataram as operações feitas em seus nomes sem o conhecimento prévio de alguém. A repercussão negativa do processo que enfrenta no Supremo Tribunal Federal, por falsidade ideológica, vem colocando em risco a indicação do peemedebista ao Ministério da Agricultura. Balbinotti já começa a perder o apoio da bancada de seu próprio partido, que fala em desistir o quanto antes para evitar mais desgaste, disseram três fontes do PMDB na condição de anonimato. Depois de empossar três novos ministros na manhã de sexta-feira, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva discutiu o problema da nomeação com o presidente do PMDB, Michel Temer, e com o líder do partido na Câmara, Henrique Eduardo Alves (RN), quando avaliaram o noticiário negativo em relação às acusações contra Balbinotti. Lula, porém, decidiu mantê-lo por enquanto e analisar o quadro na segunda-feira.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.