Baixo consumo no inverno compensa chuvas fracas

O baixo consumo de energia elétrica tem compensado o fraco volume de chuvas neste inverno. A avaliação foi feita nesta terça-feira pelo presidente do Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS), Mário Santos, na chegada ao Ministério de Minas e Energia, onde ele participou de reunião da Câmara de Gestão do Setor Elétrico."Do ponto de vista de segurança operacional, é positivo porque compensa a redução da hidrologia", disse Santos. Segundo ele, o consumo de energia permanece cerca de 14% abaixo da expectativa. A maior economia continua sendo feita pelos consumidores residenciais.A estimativa é de que esse nível de consumo permaneça até setembro porque, em outubro, tradicionalmente há a retomada da produção industrial e a elevação da temperatura, com a chegada do calor. Segundo Santos, nas regiões Sudeste e Centro-Oeste as chuvas estão 20% abaixo da média histórica, enquanto no ano passado, na mesma época, foram registrados de 18% a 19% de redução.No Nordeste, o volume de chuvas está 39% abaixo da média e, em julho do ano passado, o índice era de 35%. De acordo com Santos, também está chovendo menos neste inverno na região Sul. O volume de chuvas está 48% abaixo da média, e as águas não estão chegando aos rios Iguaçu e Uruguai, onde se encontra a maioria das usinas hidrelétricas.Santos garantiu que o racionamento de energia está descartado para 2004, desde que sejam realizadas as obras previstas no cronograma do governo que não fazem parte do Programa Prioritário de Termeletricidade (PPT). "Vamos solicitar esta semana novos cronogramas de obras", disse Santos.Segundo ele, a garantia de abastecimento pode ser mantida, mesmo com a diminuição da expectativa de produção de energia pelas usinas do PPT de 13.637 MW para 8 mil megawatts (MW) a 9 mil MW. A redução foi anunciada na semana passada pelo ministro de Minas e Energia, Francisco Gomide.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.